My blog in your language

sábado, 10 de outubro de 2009

Saudades, Poesias, Florbela Espanca e Cia ILTDA



Oi queridos... Estive pensando tantas coisas desde a última postagem, e acabei escrevendo sobre vários desses pensamentos para postar aqui depois. Mas hoje resolvi falar sobre dois temas..Um que eu tinha lhes prometido - falar sobre uma poetisa portuguesa - e outro que anda martelando na minha mente...
Começando pelo último tema...queria falar de saudades. Esta já foi inúmeras vezes aclamada em diversos textos, mas eu estou falando aqui é daquela saudade tão intensa que chega a te sufocar! Algum de vocês sabe o que é isso? Quando o choro fica preso e machuca a garganta? É sobre essa mesma que redijo! É quando você lembra de cada lugar, de cada partiularidade, de cada pessoa, de cada história e, no final, a pior saudade é de si mesmo...E você tenta sorrir como antes, falar como antes, amar como antes..e nada daquilo vem à tona! É angustiante pensar em como e em que dia você se perdeu e nem ao menos conseguiu perceber. Só o fez quando a saudade, aquela intensa e sufocante, apareceu. Será se vala à pena lutar contra si mesmo, contra sua própria involução (não é evolução mesmo). Será se um dia essa dor irá passar?
Falando nisso..em inquietudes e afins, não há como não falar no primeiro tema, a minha autora favorita..Florbela Espanca! Esta autora potuguesa viveu pouco em números, mas o suficiente para registrar sua mágica insatisfação com a mesmice, com os padrões pré-estabelecidos, com amores mornos e fez disso contos, poesais (o que é melhor), diários, artigos..Uma mulher fantástica, à frente do seu tempo, e que não queria nunca se contentar com nada! É exatamente assim que me sinto..Por que sempre temos que nos contentar com o que vier? Por que nunca podemos ter o mais? Assim ,meus caros, com uma insatisfação e autocrítica fascinantes, Florbela Espanca (1894-1930) não se contentou com a vida e me conquistou eternamente...Apreciem, mas esta aqui com muita moderação.

12 comentários:

  1. A vida é uma eterna busca daquilo que não sabemos... e o sentir é o termômetro dessa conquista.

    Beijo imenso, Michelle linda.

    Rebeca

    -

    ResponderExcluir
  2. Mimii!
    Falando em saudade, que saudade de vc, amigaa!
    Por que sumiu assim?
    Olha, lindo lindo lindo, como sempre, o que você escreveu. Eu entendo perfeitamente, também costumo sentir saudades do que já fui um dia. Mas a questão é que, às vezes, estas são apenas fases nossas, do ser humano. Também acredito que sempre estaremos mudando, por um motivo ou outro. O que importa mesmo é que saibamos nos firmar e nos aceitar em cada nova fase, mas sempre conservando aquilo que temos de bom e não deixando o mesmo escapar,nunca.
    Um beijo enoooooooorme! Te adoro muito! Fica com Deus.
    Ah, e SAUDADES!

    ResponderExcluir
  3. Então, Mimi, obrigada pelo comentário! Vim responder a sua pergunta...
    Meu planos para escrever muito continuam, na verdade eu já estou terminando meu primeiro livro, e tô muito feliz! :) Mas não penso em publicar, pelo menos agora, sabe? Prefiro que ele fique bem guardadinho por enquanto, se é que me entende...ahsuhauhsuahushauhs :P
    É isso!
    Obrigada pelo carinho, amiga, e por favor, não some!
    Beijos, fica com Deus!
    *-*

    ResponderExcluir
  4. Pois é sempre nos afundamos nos por quês...
    esquecemos do para que(fazemos isso ou aquilo).É o mau de não ser alienado...

    ResponderExcluir
  5. Olha, o seu texto está cada dia melhor e esse, especificamente, está muito tocante. Eu sei bem o que é essa saudade. Sinto isso sempre em relação ao meu pai, que se foi antes mesmo de eu completar a maioridade. É uma saudade que não passa e que sufoca. Posso encomendar um texto para esse blog? Você poderia falar de algum livro, poesia ou conto que tenha te marcado e por quê.

    ResponderExcluir
  6. Michelle,

    texto excelente sempre porque são naturais e inerentes a todos nós que lemos. E quanto a Florbela...Ahhhhhhhh , amo de paixão também!!!

    Meu carinho e um beijo!

    ResponderExcluir
  7. Ja senti esta saudade, e não estou livre de sentir de novo ! Obrigada pela dica e vou procurar ler obras dela.

    beijoos liinda !*

    ResponderExcluir
  8. Mto legal este post falando da saudade e de sua escritora favorita.
    saudade é uma palavra difícil não? na verdade um sentimento difícil, é tão dolorido sentir saudades de alguém principalmente qdo ela não tá aqui.

    querida hj envio o email com o convite ta?
    fika de olho no email hj
    bjoksss

    ResponderExcluir
  9. Já cheguei a sentir saudades deste tipo e particularmente não é tão boa assim. =/

    beiJos

    ResponderExcluir
  10. Michelle,
    primeiramente obrigada pelo comentário simpático, sim? Volte sempre.

    E sobre teu texto, de saudades conheço bem. Às vezes, vem até mim de forma doce. Nostalgia boa. E às vezes, machuca e faz sangrar. Mas passa, moça. Sempre passa.

    Um beijo. Gostei daqui!

    ResponderExcluir
  11. Obrigada pelo comentario la no meu blog! Tambem achei o seu muito fofo! :D
    Eu sumi la, parei um pouco de postar mas agora to voltando! hahahaha

    beeijinhos!

    ResponderExcluir
  12. Corre assombração
    Vai para outro mundo numa toada de vento
    Afasta de mim este cálice
    Deixa-me aprisionar a morte na vida por um momento

    Deixa-me sentir com a alegria dos sentidos
    Deixa-me acreditar no voo do por-do-sol
    Deixa-me beijar as águas de um lago feliz
    Deixa-me navegar sem rumo, perder o control



    Mágico beijo

    ResponderExcluir